Workshop define metas e objetivos para a Safra 2016 /2017

O Grupo Colorado reconhece que criar metas é um processo que se torna mais produtivo se contar com a participação dos colaboradores, principalmente aqueles que desempenham papel de liderança na empresa. Por isso, realiza a cada início do período de safra e entressafra, um Workshop.
O Workshop de Metas e Objetivos para a Safra 2016/2017 aconteceu em meio período dos dias 19 e 20 de abril e foi aberto com a participação do diretor da empresa, José Odemir Spaggiari, o que demonstrou a importância do Workshop para o Grupo Colorado.
As metas são fundamentais para deixar claro para as equipes e a empresa quais são os objetivos a serem alcançados. Sem metas não há planejamento e sem planos a empresa perde o foco.
As metas para os colaboradores são importantes, para que saibam quais são suas responsabilidades dentro dos objetivos globais do Grupo Colorado. O workshop detalhou o plano de metas a nível estratégico, tático e operacional.
O diretor do Grupo Colorado lembrou o difícil momento vivido pelo setor sucroenergético nos últimos três anos, que culminou com o encerramento das atividades de, pelo menos, 60 unidades moedoras. “Com muita dificuldade, o Grupo Colorado conseguiu equilibrar as empresas Usina Colorado e Central Energética Morrinhos. Vivemos um momento de preços baixos pagos pelo nosso produto, o açúcar. Uma alta desenfreada da taxa de juros e custos de operação cada vez mais altos. A inflação também não deu trégua. O que acontece nas casas, é semelhante ao que ocorre com as empresas e o país. São os mesmos princípios da economia que regem essas instituições. A diferença é o tamanho.”, detalhou José Odemir.
“Com a crise política e econômica, o setor produtivo freou investimentos, temendo a instabilidade vivida pelo país. Ao produzir menos, consumiram menos energia, comprometendo a venda desse nosso produto. Mas o importante é que mantivemos todos os compromissos em dia… o milagre somos nós. Precisamos que vocês não esmoreçam. Que busquem a redução dos custos de pessoal e de suprimentos com pro atividade e eliminando desperdícios.
Acredito que ainda temos bastante espaço para cortar custos. Peço a vocês que não façam o convencional, isso todos fazem, temos que mudar algo. A crise exige que saiamos da zona de conforto e sejamos ousados. Depende de nós. Quebrem paradigmas. É preciso ter coragem para mudar”.
“Coordenadores, gerentes e supervisores, precisam ousar e não fazer apenas o convencional. É preciso que não se contentem em equipar projeções com o passado, ter a coragem de quebrar e reconstruir processos.”, afirmou o gestor ressaltando que a preocupação da direção da empresa é em atuar preventivamente, adotando algumas ações para evitar o impacto da crise.

Responda